Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Projeto Caatinga

Sementes de Timbaúba.

Para retirada das sementes de Timbaúba dos frutos sugere-se expô-los para secagem ao sol e, desta forma, facilitar sua abertura e a retirada manual das sementes. Outra opção seria esmagar os frutos para facilitar a retirada das sementes.

As sementes da Timbaúba  são comumente atacadas por dois insetos da ordem Coleoptera, o Lephopoeum timbouvae e Merobruchus bicoloripes, que juntos são responsáveis pela destruição de 50% das sementes existentes nas vagens (LINK & COSTA, 1995). Portanto, além do expurgo, recomenda-se fazer uma seleção para eliminar as sementes com indícios de ataques por fungos, insetos e bactérias ou mesmo aquelas que estiverem chochas e com danos físicos aparentes.

A espécie possui dormência tegumentar provocada pela resistência da camada externa da semente, podendo também apresentar dormência embrionária (LORENZI, 2008). Imersão das sementes em ácido sulfúrico pelo tempo de 10 minutos e a escarificação mecânica com lixa apresentam melhores resultados para quebra dessa dormência (ALEXANDRE et al., 2009).

A emergência ocorre entre 10 a 20 dias com índice de germinação superior a 25% (LORENZI, 2008).

Referências

  1. ALEXANDRE, R. S. et al. Tratamentos físicos e químicos na superação de dormência em sementes de Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 2009. (Abril-Junho).
  2. LINK, D.; COSTA, E.C. Danos causados por insetos em sementes de timbaúva, Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong. Ciência Florestal, v.5, n1., p.113-122, 1995.
  3. LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil. Nova Odessa. Plantarum. 5ed. 384p. 2008.
3 de fevereiro de 2018. Visualizações: 982. Última modificação: 04/04/2020 11:39:10