Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Projeto Caatinga

Nódulos em raízes de Anadenanthera colubrina.

O estudo de espécies nativas da Caatinga junto à fixação biológica de nitrogênio (FBN) promovida por bactérias conhecidas como rízobios é de grande relevância quando o reflorestamento está em pauta, principalmente devido à importância deste nutriente no desenvolvimento dos vegetais, estando presentes em moléculas de energia (ATP, NADH e NADPH), clorofila, proteínas e enzimas. Estas bactérias, quando associadas às plantas, principalmente da família Fabaceae, formam nódulos nas raízes e tem a capacidade de fixar o nitrogênio atmosférico (N2), incapaz de ser diretamente absorvido pelas plantas  e disponibilizá-lo em uma forma assimilável (NO3 e NH4+). Das espécies nativas da Caatinga, apenas as plantas da família Fabaceae, como Angico (Anadenanthera colubrina), Catanduva (Pityrocarpa moniliformis), Jurema Branca (Piptadenia stipulacea), Sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia) e Timbaúba (Enterolobium contortisiliquum), entre outras, são capazes de apresentar tal simbiose.


Classificação das espécies leguminosas nativas da Caatinga, estudadas no Projeto Caatinga, quanto a nodulação ou não, de acordo com a literatura:

ESPÉCIES NODULANTES

NOME COMUM NOME CIENTÍFICO
Angico1 Anadenanthera colubrina (Vell.) Brenan
Catanduva2 Pityrocarpa moniliformis Benth.7*
Jurema Branca1 Piptadenia stipulacea (Benth.) Ducke.
Jurema de Embira3 Mimosa ophthalmocentra Mart. ex Benth
Jurema Preta1,2,6 Mimosa tenuiflora Benth.
Mulungu1,6 Erythrina velutina Willd.
Sabiá1,4,6 Mimosa caesalpiniifolia Benth.
Timbaúba5 Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong
 

ESPÉCIES NÃO NODULANTES

NOME COMUM NOME CIENTÍFICO
Catingueira6 Cenostigma pyramidale (Tul.) Gagnon & G.P. Lewis8*
Cumarú1,6 Amburana cearensis (Allemão) A. C. Sm.
Jucá4,6 Libidibia ferrea (Mart. ex Tul.) L. P.Queiroz9*
Mororó1 Bauhinia cheilantha (Bong.) Steud.
 

Literatura consultada:

SILVA, R. Nodulação de leguminosas da caatinga e características fenotípicas  dos rizóbios nativos de solos do semi-árido nordestino. 2010. 59 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologias Energéticas e Nucleares) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.

DE FARIA, S.; DE LIMA, H. Additional studies of the nodulation status of legume species in Brazil. Plant and Soil, Holanda, v. 200, n. 2, 1998. p. 185-192.

SANTANI, A. C. et al. Genetic diversity of Burkholderia (Proteobacteria) species from the Caatinga and Atlantic rainforest biomes in Bahia, Brazil. Genetics and Molecular Research, Ribeirão Preto, v. 12, n. 1, 2013. p. 655-664.

COSTA, H. L. S. Desenvolvimento e nodulação de leguminosas arbóreas forrageiras em solos do semiárido potiguar. 2015. 49 f. Dissertação (Mestrado em Produção Animal) – Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, 2015.

GONÇALVES, F. G. et al. Emergência e qualidade de mudas de Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong (Fabaceae)  em diferentes substratos. Revista Árvore, Viçosa-MG, v. 37, n. 6, p. 1125-1133. 2013.

6 LIMA, K. D. R. et al. Seleção de espécies arbóreas para vegetação de áreas degradadas por mineração de piçarra na Caatinga. Revista Caatinga, Mossoró-RN, v. 28, n. 1, p. 203-213. 2015.

7 JOBSON, R. W.; LUCKOW, M. Phylogenetic study of the genus Piptadenia (Mimosoideae: Leguminosae) using plastid trnL-F and trnK/matK sequence data. Systematic Botany, v. 32, n. 3, p. 569 – 575. 2007. *[atualização da nomenclatura]

8 GAGNON, E. et al. A new generic system for the pantropical Caesalpinia group (Leguminosae). PhytoKeys, v. 71, p. 1-160. 2016. *[atualização da nomenclatura]

9 QUEIROZ, L. P. D. Leguminosas da caatinga. Feira de Santana, BA: Universidade Estadual de Feira de Santana, 2009. 913 p. *[atualização da nomenclatura]

 

Referência

  1. HUNGRIA, M. & ARAÚJO, R. S. Manual de métodos empregados em estudos de microbiologia agrícola. Brasília: EMBRAPA; 1994.
7 de dezembro de 2018. Visualizações: 717. Última modificação: 07/02/2020 16:03:27