Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Projeto Caatinga

Descrição sumária

Árvore de porte médio, encontrada em várzeas úmidas ou no Seridó semiárido, com cheiro característico nas folhas quando esmagadas, casca acinzentada, quase lisa e vagens achatadas com ápice agudo que se contorcem ao liberar as sementes (Maia, 2012).

Indivíduo adulto de Catingueira

Nomenclatura científica

Pertencente à família Fabaceae, gênero Cenostigma Tul., recebendo o nome científico Cenostigma pyramidale (Tul.) Gagnon & G.P. Já apresentou outros nomes, como Poincianella pyramidalis (Tul.) L.P. Queiroz , tendo como basiônimo Caesalpinia pyramidalis Tul. (TROPICOS, 2020).

Nomes comuns

Possui nomes populares atribuídos devido ao odor desagradável de suas folhas: Catingueira, Catinga-de-porco, Catingueiro-das-folhas-largas, Pau-de-porco, Pau de rato (CNIP, 2020).

Importância cultural/econômica

Devido ao seu crescimento rápido, essa espécie pode ser utilizada em reflorestamentos de áreas degradadas e também em projetos de paisagismo urbano (SILVA et al., 2012). Pode ser manejada, através da poda, para produzir forragem durante a época seca, quando normalmente se encontra sem folhas. As folhas desta espécie, quando submetida a processo de fenação, oferecem uma massa forrageira volumosa e bastante nutritiva (Loiola et al., 2010).

Importância ecológica

Importante fonte de recursos para algumas abelhas que são seus principais polinizadores. Outros visitantes florais também coletam néctar das flores de catingueira como, por exemplo, borboletas, beija-flores e abelhas sem ferrão. Recomenda-se o plantio de mudas de catingueira em áreas de criação e conservação de abelhas nativas (SILVA et al., 2012).

Fenologia

Como outras espécies consideradas endêmicas da Caatinga, também perde as folhas na estação seca, sendo uma das primeiras a rebrotar na época chuvosa, alcançando vegetação plena aproximadamente um mês após o início da estação. A floração ocorre na transição das épocas seca-chuvosa e na chuvosa, seguida da frutificação. O Projeto Caatinga monitora a fenologia de 10 indivíduos de Catingueira na Fazenda Experimental da Universidade Federal Rural do Semi-árido, Mossoró, RN.

Acompanhamento fenológico de 10 indivíduos de Catingueira na Fazenda Experimental Rafael Fernandez, Mossoró, RN.

Distribuição geográfica

Encontrada nos estados de Alagoas, Bahia, Cerara, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe (CNIP, 2020).

Referencias

SILVA, C. M., SILVA, C. I. da, HRNCIR, M., QUEIROZ, T. de, FONSECA, V. L. I. Guia de Plantas VISITADAS POR ABELHAS NA CAATINGA. Editora Fundação Brasil Cidadão, Fortaleza, 1. Ed., 2012.

LOIOLA, M. I. B.; PATERNO, G. B. C.; DINIZ, J. A.; CALADO, J. F.; OLIVEIRA, A. C. P. LEGUMINOSAS E SEU POTENCIAL DE USO EM COMUNIDADES RURAIS DE SÃO MIGUEL DO GOSTOSO – RN. Revista Caatinga, Mossoró, v. 23, n. 3, p. 59-70, jul.-set., 2010.

TROPICOS. Cenostigma pyramidale (Tul.) Gagnon & G.P. Lewis  Disponível em:< http://legacy.tropicos.org/Name/100448285 >. Acesso em 18 abr. 2020.

CNIP-Centro Nordestino de Informações sobre Plantas. Disponível em: < http://www.cnip.org.br/bdpn/ficha.php?taxon=1329 >. Acesso em: 18 abr. 2020.

5 de maio de 2020. Visualizações: 503. Última modificação: 15/06/2020 02:57:32