Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Projeto Caatinga

Capacidade de crescimento

Para obtenção de sementes, a colheita dos frutos deve ocorrer logo que iniciarem a abertura espontânea, retirando diretamente da árvore quando apresentarem coloração de marrom a preta, ou recolhê-los do chão, após a queda. Para facilitar a quebra manual para retirada das sementes, levá-los ao sol para secar após coletado (CARVALHO, 2007). Segundo Moraes Neto et al (2001), mudas de mutamba apresentaram melhor desenvolvimento do diâmetro do colo, crescimento em altura e concentração de nutrientes na parte aérea quando produzidas a pleno sol e a 40% de luz. Possuem rápido desenvolvimento e entre quatro a cinco meses após a semeadura, as mudas atingem porte adequado para plantio no local definitivo (CARVALHO, 2007; LORENZI, 1992).

 O Projeto Caatinga realizou experimentos com Guazuma ulmifolia, entre eles Gomes et al. (2019), que avaliando o tempo de permanência em viveiro e parâmetros não destrutivos para seleção de mudas produzidas sob diferentes dosagens de nutrientes orgânicos e minerais, concluíram que para produção de mudas de mutamba, apenas o enriquecimento do substrato com composto orgânico proporciona resultados satisfatórios, como a redução do tempo de permanência das mudas no viveiro, minimização de custos e aptidão para plantio, tendo como parâmetro de avaliação o comprimento da parte aérea e o índice de robustez. Aos 42 dias de experimentação, as mudas produzidas com nutrientes orgânicos estavam em média aptas ao plantio definitivo em campo, adotando como critério altura de 25 cm e diâmetro do coleto de 3 mm, enquanto as mudas dos tratamentos utilizando micronutrientes quelatizados (EDTA) e superfostato simples não alcançaram altura satisfatória aos 113 dias de experimentação.

Experimento de produção de mudas em viveiro.

 

Muda de Mutamba em experimento de campo.

REFERÊNCIAS

CARVALHO, P. E. R. Mutamba – Guazuma ulmifolia. Circular Técnica, 141, Embrapa Florestas, 2007, 1-13 p.

 LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 1. ed.  Nova Odessa, SP: Editora Plantarum, 1992. 327 p.

GOMES, E. D. S.; QUIRINO, N. I. L.; DOMBROSKI, J. L. D.; SILVA, J. P.; NETO, F. A. N. Correlação entre parâmetros não destrutivos e Índice de Qualidade de Dickson para mudas de Guazuma ulmifolia Lam. (Mutamba) em resposta à adubação orgânica e mineral. In: XXV SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFERSA, 25, 2019, Mossoró. Anais, Mossoró: 52 p.

MORAES NETO, S. P.; GONÇALVES, J. L. M.; TAKAKI, M. Produção de mudas de seis espécies arbóreas, que ocorrem nos domínios da floresta atlântica, com diferentes substratos de cultivo e níveis de luminosidade. Revista Árvore, Viçosa, v. 2

17 de agosto de 2020. Visualizações: 77. Última modificação: 17/08/2020 16:52:52